terça-feira, 5 de outubro de 2010

Chegadas e partidas


Bom dia pessoas lindas que por aqui passam...
Selinho com brincadeira recebido da amiga Macá Agenda Ilustrada

1 - Copie e cole o selinho na sua postagem;
2 - Conte-nos o que lhe faz feliz, entre partidas e chegadas, simples assim!;
3 - Conte quem lhe presenteou, se possível adicionando o link para o blog;
4 - Indique ao menos 5 blogs para receberem o carinho e avise-os, para que eles possam continuar a brincadeira. Podem ser mais, claro, o importante é provocar a ideia naqueles que lhe visitam!
5 - Volte no post de quem lhe deu o selinho e avise se já está participando, nesse mesmo post.

Amigas para quem envio este selinho:

1 ) Tina (Sonhar e Realizar)
2 ) Gil
3) Susi (Copy Paste)
4) Elaine Melman ( Provence Home e Banho)
5) Cintia (Sobre viver em Sinop)

E aí vai o que me faz feliz...em partidas e chagadas sobre minha condição atual, o intercâmbio do meu filho para os USA.

É chegada a hora da partida, ele fez 16 anos, o caçula, deve partir em breve para sua jornada de vida, nosso primeiro corte do cordão umbilical.
Não é fácil para mim, mas ele deve seguir seu destino que já estava traçado ha muitos anos, e que agora, chegou a hora.
Menos de três meses e ele parte, ficará longe por seis longos meses, aprendendo e descobrindo as dores e alegrias de ser quem é.
Sem dúvida, pra mim, neste momento a partida tem um misto de tristeza pela ausência, alegria pela possibilidade de vê-lo crescer e aprender.
Mas sei que na chegada, virá com uma experiência que eu não poderia de forma alguma ceifar.
Saudade acumulada, contos e causos, assim como foi com o outro (primogênito), que também partiu e chegou feliz.
Eles partem e voltam, isso me faz feliz. Isso os faz feliz.

2 comentários:

  1. Lenita,

    Obrigada pela lembrança. Questão difícil essa...
    Fiquei emocionada com o seu texto, não me imagino nessa situação lidando tão bem, aí, não quero nem pensar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Lenitas
    Que bom que aceitou o "presentinho". É uma forma de conhecermos um pouquinho mais sobre essa amizade bonita que fazemos por aqui.
    Eu, assim como você, também passei por essa experiência de ver um filho de 16 anos (praticamente um bebê) partir. E ele ainda escolheu a Nova Zelândia - 15 horas de fuso.
    Mas dei a maior força. O pai não queria muito que ele fosse não, mas conseguimos convencê-lo, e foi uma experiência maravilhosa que ele vai levar pra sempre. E pra nós também, já começando a nos preparar para quando ele quiser sair de casa.
    um beijo

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, volte sempre, volte logo!!